Bem e Mal, Bom e Mau .!

Você sabe definir mal e mau ?Há diferença?, há semelhança?Mal ou mau são paupáveis?Deus criou o mau?

O Mal ELE criou:

“Eu formo a luz, e crio as trevas; eu faço a paz, e crio o mal; eu, o SENHOR, faço todas estas coisas.” (Isaías 45 : 7)

E o ser( anjo ou humano ) mau, Deus criou?

Primeiro devemos entender o que é o mal.

Bom texto pra explicar

“Aparta-te do mal, e faze o bem; procura a paz, e segue-a.” (Salmos 34 : 14)

Se eu trocar duas palavras ali como ficaria?

Aparta-te do mau, e seja bom; procura a paz, e segue-a.

Mal portanto é o contrário de bem.Logo, mau é contrário do bom.

“Mau” é um adjetivo e “mal” é um advérbio.

O Homem mau, pratica o mal, mas também pode praticar o bem, mas isso não o torna bom.

Já o Homem bom faz o bem, evidenciado em suas obras pelos seus frutos.O Homem bom pode praticar um mal ao seu próximo, porém isso não o torna mau.

Vamos a um exemplo.

No julgamento de um homem mau.O Cara é um assassino, bandido cruel.Já praticou muitos crimes.

O Juiz que o julga é um homem bom.E O Sentencia a prisão.Que aconteceu?O Juiz aplicou-lhe uma pena, aplicou-lhe um mal. Mas isso não o tornou um homem mau.

Deus já usou muitas vezes o mal pra fazer justiça.Mais Deus é bom e a Sua benignidade dura para sempre.

Da mesma forma quando um pai cristão aplica um castigo ao seu filho. Esse pai lhe fez um mal, mas não indica que seja um homem mau.

Com a palavra Jesus abordando o tema completo:

“O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem, e o homem mau, do mau tesouro do seu coração tira o mal, porque da abundância do seu coração fala a boca.” (Lucas 6 : 45)

Continuando…

Voltando a Lucas 6, precisamos de Versículos auxiliares pra entender melhor.Como já sabemos as diferenças entre bem e mal, e bom e mau, vamos em frente.

“Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? 17 Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus. 18 Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons. 19 Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo.20 Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.”(MATEUS 7:16-20 16)

” Porque não há boa árvore que dê mau fruto, nem má árvore que dê bom fruto. 44 Porque cada árvore se conhece pelo seu próprio fruto; pois não se colhem figos dos espinheiros, nem se vindimam uvas dos abrolhos. 45 O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem, e o homem mau, do mau tesouro do seu coração tira o mal, porque da abundância do seu coração fala a boca.” (LUCAS 6:43-45 43)

OBJETIVOS

Definir o princípio da frutificação espiritual.Explicar o sentido de “vida frutífera”. Descrever os propósitos da frutificação espiritual.

O termo fruto no Novo Testamento é a tradução do original karpos, que tanto pode significar “o fruto”, quanto “dar fruto”, “frutificar” ou ser “frutífero” (Mt 12:33; Mt 13:23; At 14:17).

Na Bíblia, também é empregado em sentido figurado para indicar o resultado de algo, por exemplo: o produto do ventre dos animais (Dt 28:11); o caráter do justo (Sl 1:3; Pv 11:30); a índole do ímpio e as atitudes dos homens (Pv 1:29-32; Jr 32:19); a mentira (Os 10:13); a santificação (Rm 6:22); a justiça (Fl 1:11), o arrependimento (Lc 3:8) etc…

HOMEM BOM PRODUZ BONS FRUTOS.
Em João 15, Jesus se apresenta como a Videira Verdadeira e utiliza-se de uma simbologia já existente no Antigo Testamento, onde a árvore representa o homem (Jz 9:7-15; Sl 1:3), e a vinha, Israel (Is 5:1-7; Jr 2:21; Os 10:1).

A árvore produz fruto segundo a sua espécie (Gn 1:11). Espécie, no original, mim, designa “especificação” ou “ordem”, portanto, a qualidade do fruto aponta para o caráter de sua árvore (Gn 1:12; Mt 7:17-18). Logo, o crente regenerado pelo Espírito Santo deve originar fruto que dignifique e reflita o caráter moral de Cristo.

A frutificação espiritual segue a mesma regra. João Batista exigiu de seus discípulos: “Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento” (Mt 3:8). Em João 15:1-16), Jesus enfatizou este princípio esclarecendo aos seus seguidores que, a fim de se desenvolverem espiritualmente, precisavam apresentar abundante fruto para Deus.

De que tipo de fruto Jesus estava falando? A resposta encontra-se em Gálatas 5:22. Por conseguinte, o fruto do Espírito desenvolver no crente um caráter semelhante ao de Cristo, que reflete a imagem de sua pessoa e a natureza santa de Deus.

“Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.” (Gálatas 5 : 22)

Quando o crente não se submete ao Espírito, cede aos desejos da natureza pecaminosa. Mas, ao permitir que Ele controle sua vida, torna-se um solo fértil, onde o fruto é produzido. Mediante o Espírito, conseguimos vencer os desejos da carne* e viver uma vida frutífera.

ROMANOS 8:5-10
Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito. Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz.Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser.Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus. Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele. E, se Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito vive por causa da justiça.

Fruto conforme a espécie. Cada um produz futo segundo a sua espécie. Em João 14:16, lemos as palavras de Jesus aos discípulos: “E eu rogarei ao Pai, ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre”. A palavra outro, no original, denota “outro da mesma espécie”. O Espírito Santo e da mesma espécie que Jesus. Logo, é de sua natureza produzir um caráter semelhante ao de Cristo no crente e da natureza da carne pecaminosa produzir maldade.

A Palavra de Deus é absoluta ao declarar que “os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus” (Gl 5:21b). Estas obras da carne são características dos que vivem em pecado (Rm 7:20).

“Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim.” (Romanos 7 : 20)

A Palavra de Deus afirma que o crente é recompensado ao dar toda a liberdade ao Espírito Santo para produzir, em seu interior, as qualidades de Cristo.Pedro trata da necessidade de o crente desenvolver as dimensões espirituais da vida cristã. Com este crescimento, vem a maturidade e a estabilidade fundamentais para uma vida vitoriosa sobre a natureza velha e pecaminosa do homem.

“Portanto, irmãos, procurai fazer cada vez mais firme a vossa vocação e eleição; porque, fazendo isto, nunca jamais tropeçareis. Porque assim vos será amplamente concedida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo”.(II Pedro 1:10-11)

A pessoa é identificada pelo seu fruto. Em Mateus 7:15-23, deparamo-nos com declarações notáveis, proferidas pelo Mestre, acerca da importância do caráter. Assim como nós, os falsos profetas são reconhecidos pelo tipo de fruto que produzem (Mt 7:16-19).

MATEUS 7:15-23 Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores.Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus.Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons.Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas?E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.

Os sinais contestados pelo fruto.

Jesus acrescentou que algumas pessoas fariam muitas maravilhas, expulsariam demônios em seu nome, porém, Ele jamais as conheceria (Mt 7:22-23). Como é possível? A resposta é encontrada em 2 Tessalonicenses 2:9. Este trecho bíblico comprova ser possível Satanás imitar milagres e dons do Espírito. Contudo, o fruto do Espírito é a marca daqueles que possuem comunhão com o Senhor (Mt 7:17-18; 1 Jo 4:8), e jamais poderá ser imitado.

“Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos.” (Mateus 24 : 24)

Não é possível enganar os escolhidos.

Se você não está em um desses templos heréticos, alegre-se e dê Graças ao SENHOR.A sua Fé em Jesus não se deixou enganar.

OS PROPÓSITOS DA FRUTIFICAÇÃO ESPIRITUAL.

Expressar o caráter de Cristo. Todo fruto revela sua árvore de origem. Da mesma maneira, como membros do corpo de Cristo, devemos refletir naturalmente o seu caráter para que o mundo o veja em nós. Quando pessoas tomam conhecimento de nossa confissão cristã, podemos vir a ser a única bíblia que muitas delas “lerão”.

Evidenciar o discipulado. Jesus ensinou que devemos dar “muito fruto” a fim de confirmarmos que somos seus discípulos (Jo 15:8). Ele ressaltou que todo discípulo bem instruído será como o seu mestre (Lc 6:40) Isto significa que não é o bastante aceitar Jesus para afirmar: “Veja, sou crente!” Ele deseja que produzamos muito fruto. Se assim fizermos, estaremos demonstrando que verdadeiramente somos seus discípulos.

JOÃO 15:8

Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos.

Abençoar outras pessoas. A manifestação do fruto abençoa ímpios que nos cercam e também crentes que vêem a evidência do fruto espiritual em nós.

Glorificar a Deus (Jo 15:8). O fruto do Espírito é o resultado de uma vida abundante em Cristo. Quando permitimos que a imagem dEle seja refletida em nós, as pessoas glorificam a Deus (Mt 5:16).

MATEUS 5:16

Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.

Concluindo…

Se entregarmos todo o controle de nossa vida ao Espírito Santo, Ele, infalivelmente, vai produzir o seu fruto em nós através de uma ação contínua e abundante. Como cristão, tudo que concerne ao caráter santificado, ou seja, a nossa semelhança com Cristo, é obra do Santo Espírito “até que Cristo seja formado em vós”.

“Meus filhinhos, por quem de novo sinto as dores de parto, até que Cristo seja formado em vós;” (Gálatas 4 : 19)

Seja vaso de Honra, seja uma alma boa e produza muitos bons frutos, e serás a IMAGEM E SEMELHANÇA DE DEUS.

“Não sejas sábio a teus próprios olhos; teme ao Senhor e aparta-te do mal”.(proverbios 3:7)

Guto Lopes